Art, Philosophy, Poetry & Books

Textos em Destaque

Produção e Reprodução de Textos e Impressões Cotidianas

February 24, 2019

Eu estou farta de ter irmãos, já os tenho demais

Quero amantes

Estou farta dos quase beijo

Dos abraços demorados

Das mãos nas minhas mãos

Quero corpos entrelaçados

Desejos revelados

Fuga do imaginável

Quero alucinação

Quero poemas em meu nome

Corte, pulso no sangue

Gritos no metrô

Promessas de amores pra sempre

Som, canção de amor

Quero que me ouçam,

Até o fim

Sem ser interrompida pelo medo de alguém

Ou o meu

Quero merecer o céu e três dias de viagem se for preciso

Eu quero aquela lágrima

Aquela que apaga o sofrimento do dia anterior

E desenha o do dia seguinte

...

February 10, 2019

Começo de ano é sempre aquela correria com os livros de férias. Eu chamo de livro de férias os livros que eu não preciso ler pra fazer algum trabalho acadêmico, acontece que a essa altura, fazendo um doutorado, tudo vira material de estudo, até um livro sobre a Noruega te faz pensar em relações históricas que poderiam… Enfim. É que eu sou louca por romance e faz tempo que não dá, acho que vocês, que estão no mesmo momento que eu, ou mesmo não, entendem do que eu estou falando. Então eu tenho centenas de livros de férias em casa - que eu nun...

July 15, 2018

I

Hoje eu acordei e meu corpo já estava longe do teu, então decidi te escrever os meus dias, não porque eu desejo que você saiba deles ou mesmo que saiba sobre o que escrevo, que na verdade, nunca se destinará a você, daqui ninguém poderá me ouvir. Escrevo porque não consigo segurar as bordas do amor que sinto. E ele vai se derramando de mim por todas as ruas de São Petersburgo, corre junto com as águas do canal Griboedove e na frente da Catedral o sangue derramado em lágrimas é o meu. Escrevo para você, amor, apenas para guardar o meu camin...

July 24, 2017

Pudesse a árvore vagar
e mover-se com pés e asa
Não sofreria os golpes do machado
Nem a dor de ser cortada

Não errasse o sol toda noite
Como poderia ser o mundo
Iluminado a cada manhã?

E se a água do mar não subisse ao céu
Como cresceriam as plantas 
regadas pelas chuvas e pelos rios?

A gota que deixou seu lar, o oceano
E a ele depois retornou
encontrou a ostra à sua espera
E nela se fez pérola

Não deixou José seu pai
Em Lágrimas e desespero
Ao partir em viagem para alcançar 
O reinado e a fortuna?

Não viajou o profeta
Para a distante medina
Ond...

June 18, 2017

Fotografia de Naiara Paula, Projeto Arte de TERREIRO.

“Uma mesma civilização produz simultaneamente duas coisas tão diferente como um poema de T. S Eliot e uma canção de Tin Pan Alley, ou uma pintura de Braque e uma capa da Saturday Evening Post. Todas elas são manifestações culturais e, aparentemente, fazem parte da mesma cultura e são produtos da mesma sociedade.” Greenberg, p. 27.

Pensar numa produção artística para um fórum de diversidade me instiga então a pensar nas diversas formas de artes e de artistas do mundo, assim como seus diver...

March 23, 2017

Embora a noite aproxime-se a passos lentos e já tenha avisado que os cantos devem cessar; embora os teus companheiros tenham ido descansar e tu estejas exaustos; embora o medo alimente-se de trevas e a face do céu esteja coberta de um véu; sim, pássaro, ouve-me, não fecha tuas asas.

Não é o ruído da folhagem na floresta, é mar que vem ondulando como serpente negra; não é a dança do jasmineiro florido, é espuma do mar.

Ah, onde está a praia verde ao sol, onde o teu ninho?

Pássaro, meu pássaro, ouve-me: não fecha tuas asas.

A noite sozinha está d...

March 7, 2017

É exposto em A Partilha do Sensível que existe um devir comunitário que separa funções sociais no sensível (o corpo social, aquilo que se pode ver, tocar e interagir), ao mesmo tempo que instaura semelhanças. Rancière nos faz crer que se possa perceber a partilha do sensível sob uma divisão advinda de um ethos comunitário.

Partamos de um princípio de entendimento: Rancière explica que Platão, quando critica em sua filosofia as artes miméticas e seus artistas, não está exatamente contra a arte (mesmo porque arte como a conceituamos não visita...

March 6, 2017

O filme é ambientado nos EUA da década de 1950 e começa com uma lição: dois homens pretos, Troy, o protagonista, e Bono, seu melhor amigo; discutem sobre funções que são reservadas apenas para pessoas pretas, “Por que os brancos dirigem e só os pretos fazem força?”, e a partir daí a gente acompanha a luta do protagonista por adquirir o direito de também dirigir os caminhões da empresa onde trabalha, como os brancos fazem.

Acompanhamos também seus argumentos, a busca pelo sindicato, pela lei e por afirmar suas capacidades e direitos enquanto...

February 9, 2017

Com as maravilhosas ilustrações do premiado japonês Tetsuo Kitora, o livro O Ramo, O Vento, de Octávio Paz, é uma obra de arte. Sem falar da impressão das cores e no ótimo trabalho editorial do livro.

Nós já imaginamos que os poemas serão maravilhosos para serem lidos, levando em consideração de que são poemas de Octávio Paz. Mas então abrimos o livro e nos deparamos com uma linda edição que mescla perfeitamente a arte de Tetsuo e a arte de Octávio.  Primeiro, a ilustração de cores entrepostas nos avisa que vamos entrar num ambiente lúdio, c...

January 15, 2017

O “Delta de Vênus Erótica” é uma coletânea de histórias que, sabemos, foram encomendadas por um cliente à escritora francesa Anaïs Nin, e que depois foram reunidas e transformadas em livro. O “A Fugitiva” é um conjunto de três histórias, duas delas publicada também em Delta de Vênus Erótica, a primeira história de nome Basco e Bijou e a segunda, Manuel. A terceira, A fugitiva, que dá nome ao pequeno livro, e da  “Coleção 64 Paginas”, da LP&M Pocket, editora que eu gosto muito, aliás. Com tradução de Haroldo Netto e Lúcia Brito. E Basco e Bi...

November 30, 2016

Oh, santos gênios! Vós caminhais,

lá por cima, em luz, sobre terra suave.

Brilhantes deuses etéreos

Tocam-vos levemente,

Qual os dedos da artista

nas cordas santas

Sem destino, como a criança

Adormecida, os anjos respiram;

Castamente guardado

Em discretos botões,

O espírito floresce-lhes,

Eterno,

E os santos olhos

Vêem em silenciosa

E eterna claridade.

Nós, porém, fomos condenados a errar,

Sem descanso, p’la terra fora.

Ao acaso, de uma

Hora para a outra,

Os homens sofredores

Somem-se e caiem,

Como a água atirada de

Recife para recife,

Ano após ano, na incerteza.

...

November 29, 2016

Foto do Evento da página pessoal de Flávia Oliveira. Da esquerda para a direita estão: Flavia Oliveira, Henrique Braun, Joe Beasley, José Vicente e Caio Magri.

Na tarde de uma segunda-feira, 28 de Novembro, mês que no Brasil se comemora a Consciência Negra, a Coca Cola Brasil recebeu no auditório de seu elegante prédio em Botafogo, no Rio de Janeiro Joe Beasley, ativista dos Direitos Civis nos Estados Unidos da América do Norte. Tendo como mediadora a inteligentíssima e bem articulada jornalista Flávia Oliveira, de quem inclusive me partiu o...

November 2, 2016

 Objetos e objetivos não identificados. Foto de Naiara Paula. 

Em algumas literaturas aparecerá que Obá é a senhora do vermelho “Obá tem um caráter apaixonado, irascível e corajoso, não teme nada nem ninguém e gosta de brigar. Nada mais natural que ela aprecie a cor vermelha, tão ligada a emoções fortes” (Martins, 2002, p.75). Mas suas guerras são as mais justas, mas justiça com a espada. Sua essência de deusa é vencer. Toda terra teme ao ouvir o barulho de seus passos. Energia feminina de fúria, seu vermelho-mulher é o vermelho-sangue...

November 1, 2016

                                                                               

Não posso fechar teus olhos

Eu sinto que você foi embora

O calor da luz da tua alma

Já não me aquece como outrora

Eu sei que você foi embora

Minhas mãos já não podem mais tocar

Tua pele trêmula no começo das madrugadas

Frias e escuras dentro do meu peito

Eu sei que você quis ir...

June 17, 2016

INTRODUÇÃO*

São famosas as imagens do catálogo de visitas dos irmãos Lumière entre 1896 e 1897, que “possuía cerca de sessenta filmes de viagens realizadas na região do Magreb: Argélia, Marrocos e Tunísia”, imagens feitas por Alexandre Promio, famoso operador de câmera dessa companhia. Segundo Joel Zito Araújo, cineasta e pesquisador brasileiro, no entanto, essas imagem contribuíam para um imaginário pejorativo sobre o que era a África e o africano e africana, apresentando uma ideia eurocêntrica e de representação questionável, “colocando-os...

Please reload

Para os africanos, a filosofia está nas línguas, Por Sophie Oluwole

February 24, 2019

1/12
Please reload

Looking in

                  the site

Recent Posts

February 24, 2019

February 10, 2019

Please reload

Follow Us
Acesso aos textos ateriores
Please reload